Doces Portugueses – Doce de Santa Maria da Feira

Doce de Santa Maria da Feira

LOjA

Santa Maria da Feira é uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Aveiro e situada na Grande Área Metropolitana do Portoregião Norte e sub-região de Entre Douro e Vouga.

Castelo de Santa Maria da Feira, doce de Santa Maria da Feira

Castelo de Santa Maria da Feira

Município subdividido em 31 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Vila Nova de Gaia e de Gondomar, a leste por Arouca. A sueste por Oliveira de Azeméis e São João da Madeira A sul e a oeste por Ovar e a oeste por Espinho. O município de Santa Maria da Feira inclui 3 três cidades (FiãesLourosa e Santa Maria da Feira).

Existem diversas vilas (actualmente 13, entre as quais a destacar: Argoncilhe, Arrifana, Lobão, Mozelos, Nogueira da Regedoura, Paços de Brandão, Rio Meão, São João de Vêr, São Miguel do Souto, São Paio de Oleiros e Santa Maria de Lamas).

A Câmara de Santa Maria da Feira remeteu-me o texto relativa à origem da Fogaça, que é o doce de Santa Maria da Feira.

A Festa das Fogaceiras

A Festa das Fogaceiras teve origem num voto ao mártir S. Sebastião, m 1505, altura em que a região foi assolada por um surto de peste que dizimou parte da população.

Em troca de protecção, o povo prometeu ao santo a oferta de um pão doce chamado Fogaça.

S. Sebastião, conta a lenda, padeceu de muitos sofrimentos aquando do seu martírio em nome da fé cristã, tornou-se, assim, o santo padroeiro de todo o condado da Feira.

No cumprimento do voto, os ofertantes incorporavam-se numa procissão que sai do Paço dos Condes e seguia pela Igreja do Convento do Espírito Santo (Lóios). Aqui eram benzidas as fogaças, divididas em fatias, posteriormente repartidas pelo povo. Assim nasceu a Festa das Fogaceiras.

Cumprida em cada dia 20 de Janeiro, esta promessa constitui uma referência histórica e cultural para as Terras de Santa Maria.

Com o passar dos tempos…

A Festa das Fogaceiras chegou até aos nossos dias com dois traços essenciais.

  • A realização da missa solene, com sermão, precedida da bênção das fogaças, celebrada na Igreja Matriz.
  • A procissão, que sai da Igreja Matriz, percorrendo algumas ruas da cidade.

Com a proclamação da República, acrescentou-se um novo ritual. A formação do cortejo cívico, a partir dos Paços do Concelho rumo à Igreja Matriz, antes da missa solene, que integra as “Fogaceiras”  com as Fogaças à cabeça. As autoridades politicas, administrativas, judiciais e militares e personalidades de relevo na vida municipal também estão presentes.

A procissão festiva realiza-se à tarde e congrega símbolos religiosos, com destaque para o mártir S. Sebastião. Também na representação civil, com símbolos autárquicos, económicos, sociais e culturais de cada uma das 31 Freguesias do concelho. Uma curiosa mistura entre o civil e o religioso.

As Fogaceiras, Fogaça, doce de Santa Maria da Feira

As Fogaceiras

No cortejo e procissão as atenções recaem, naturalmente sobre as Fogaceiras, segundo a tradição “crianças impúberes”. São provenientes de todo o concelho, vestidas e calçadas de branco, cintadas com faixas coloridas. As Fogaceiras levam à cabeça as fogaças, coroadas de papel de prata de diferentes cores, com diferentes perfis do castelo.

Inicialmente, as “Fogaças do Voto” eram distribuídas pela população em geral, depois pelos pobres e mais tarde pelos presos, pobres e personalidades concelhias, em fatias chamadas “mandados”.

Actualmente, são entregues às autoridades religiosas, politicas e militares que têm jurisdição sobre o município de Santa Maria da Feira.

Fogaça, doce de Santa Maria da Feira

Fogaça

Símbolo de União

Tal como outrora, hoje as gentes do concelho da Feira têm a oportunidade de mostrar o culto a S. Sebastião numa festa que é, símbolo de união e de identidade colectiva.

Manda a tradição que, por ocasião da Festa das Fogaceiras, os feirenses enviem Fogaças, doce de Santa Maria da Feira, aos familiares e amigos que se encontrem longe.

A Fogaça é um pão doce tradicional de Santa Maria da feira. As primeiras referências aparecem nas inquisições de D. Afonso III, no século XIII (1254/1284) usada como pagamento de foros.

O seu formato estiliza a Torre de menagem do Castelo com os seus quatro coruchéus.

A Fogaça, doce de Santa Maria da Feira, é cozida diariamente em várias casas de fabrico do concelho. Distingue-se por tradicionais aprestos, quer no preparo, quer na forma como vai ao forno.

Os ingredientes base utilizados na confecção desta iguaria são agua, fermento, farinha, ovos, manteiga, açúcar e sal.

A Fogaça é comercializada durante todo o ano e utilizada como voto na festa das fogaceiras.

LOjA

PARTILHEM ESTA PÁGINA É SÓ CLICAR ALI EMBAIXO